Bolsonaro é transferido para São Paulo onde será avaliada necessidade de ‘cirurgia de emergência

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro deixou o Hospital das Forças Armadas (HFA) no final da tarde desta quarta-feira para ser transferido a um hospital em São Paulo para fazer novos exames, após o cirurgião Antonio Luiz de Macedo, que operou o presidente em 2018 após a facada, ter constatado uma obstrução intestinal. Bolsonaro foi levado na madrugada desta quarta para o HFA, em Brasília, após ter sentido dores no abdômen. Há mais de dez dias ele vinha reclamando de soluços persitentes. O presidente será levado para o Hospital Vila Nova Star, na capital paulista.

“Após exames realizados no HFA em Brasília, o Dr. Macedo, médico responsável pelas cirurgias no abdômen do Presidente da República, decorrentes do atentado a faca ocorrido em 2018, constatou uma obstrução intestinal e resolveu levá-lo para São Paulo onde fará exames complementares para definição da necessidade, ou não, de uma cirurgia de emergência”, informou nota do Palácio do Planalto.

Por volta das 14h, o avião presidencial começou a se movimentar no Aeroporto Internacional de Brasília para ficar à disposição em caso de necessidade de transferência do presidente, o que foi confirmado pela Presidência horas depois. A aeronave chegou a decolar e sobrevoar a região por alguns minutos antes de voltar à capital federal.

No Hospital das Forças Armadas, o presidente recebeu a visita de alguns ministros como Marcelo Queiroga, da Saúde, Paulo Guedes, da Economia, e Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional. Um grupo de cinco apoiadores do presidente também pendurou bandeiras do Brasil na entrada do hospital.

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, comentou a situação na abertua de uma entrevista coletiva sobre o 5G, no Palácio do Planalto, na tarde desta quarta:

— Primeiro, desejar saúde ao nosso presidente. Acabamos de soltar uma nota, onde (diz que) o presidente vai ser transferido para São Paulo, vai ser submetido a testes, para ver se é necessária uma cirurgia de emergência ou não — disse. — Nós esperamos que ele brevemente já  esteja recuperado, para que possa voltar a nos ajudar aqui comandando o país.

Filho mais velho do presidente, o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) disse que conversou com o médico, que disse que a família poderia ficar calma e que não há nada mais grave acontecendo. Flávio disse que chegou a falar com o pai, mas que ele ainda estava se recuperava da sedação para o exame da endoscopia. O senador disse que o presidente deve ficar três dias de observação no hospital em São Paulo para ver se haverá necessidade de um procedimento cirúrgico.

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *