Polícia Civil deflagra operação SETH e prende suspeito em Macaíba

Policiais civis da Delegacia Municipal de Macaíba deram início, nesta sexta-feira (02), à Operação “SETH”, que visa investigar e desarticular a ação de grupos criminosos armados que têm atuado na cidade de Macaíba e circunvizinhas, praticando crimes como homicídios e roubos nas propriedades rurais, além de outras violências nas áreas urbanas, em alguns casos se passando por agentes de segurança pública.

A ação, que aconteceu na estrada de Guanduba, em São Gonçalo do Amarante, tinha como objetivo realizar a abordagem a um suspeito de 29 anos, em decorrência da suspeita portando armas de fogo. Ele já havia sido detido outras duas vezes em decorrência do mesmo crime. Segundo as investigações, ele é apontado como um dos suspeitos de participar de fatos graves ocorridos na cidade de Macaíba, como as tentativas e roubos recentes em propriedades rurais, além de um homicídio, e por planejar a morte de agentes de segurança como retaliação a sua prisão anterior.

Durante a abordagem, o suspeito não parou na barreira policial e direcionou seu veículo contra os policiais, iniciando uma fuga do local e, ao longo do trajeto, começou a se desfazer dos objetos ilícitos que carregava. As equipes realizaram o acompanhamento e conseguiram realizar a parada do veículo. Foram localizados e apreendidos em posse do suspeito: uma arma de fogo calibre 38, totalmente municiada, munições calibre 38 e 380, além de um aparelho celular.

O suspeito foi conduzido à delegacia, onde foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma de fogo e receptação. Em seguida, foi encaminhada ao sistema prisional, onde se encontra à disposição da Justiça. A Polícia Civil pede que as vítimas que reconhecem o suspeito como autor do crime procure a unidade policial e continuem enviando informações de forma anônima, por meio do Disque Denúncia 181 ou pelo número da Delegacia Municipal de Macaíba: (84) 98114-4042.

Operação “SETH”

O nome da operação remete à mitologia egípcia, na qual SETH é apontado como o deus da confusão, da desordem e da perturbação, tendo como características a fúria, a crueldade, o sofrimento e outras negatividades. Os possíveis crimes praticados por esses grupos investigados, embora alguns deles se intitulem como justiceiros, podem ter tido motivações como “ciúmes”, “discussões banais”, “domínio de territórios”, “queima de arquivos” e outras vaidades, provocando desassossego social.

Polícia Civil/Assecom

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *