Você daria um nome em uma escola, o nome de um FAZENDEIRO ou de uma PROFESSORA?

No ano de 2017, foi iniciada a construção da creche na Comunidade rural de Cajazeiras, antes de sua construção concluída, o prefeito Fernando Cunha, sancionou uma lei municipal dando o nome da creche de um empresário, falecido em 05 de março de 2016, o Dr. Getúlio Garcia da Nóbrega.

Dr. Getúlio, como era mais conhecido, juntamente com seus dois irmãos, administravam um empreendimento na cidade de Macaíba, que atendeu nos anos de 1979 a 1989, em torno de 1000 operários.

A sua empresa era a FIAÇÃO DE ALGODÃO MOÇO S.A, conhecida na cidade como FAMOSA.

Vindo de Minas Gerais para o Rio Grande do Norte foi se efetivando como empresário e fazendeiro da região. Sobrinho da ex-prefeita Mônica Dantas. Homem muito rico e de grande influência no empresariado na região. A sua atuação na questão agropecuária, lhe deixou um histórico de ser um forte FAZENDEIRO da região.

Estamos fazendo este resgate para apresentar a campanha CRECHE MARIA BARBOSA DE SOUZA.  Esta campanha faz parte de um movimento comunitário que está acontecendo nas comunidades de CAJAZEIRAS E AS MARIAS, que solicita que o nome da CRECHE DA COMUNIDADE, seja não o nome do fazendeiro Dr. Getúlio, mas sim o nome da professora MARIA BARBOSA DE SOUZA.

HISTÓRICO DE MARIA BARBOZA DE SOUZA

Maria Barboza de Souza, filha de Miguel Alexandre da Silva e de Maria Antônia da Silva (Mocinha), foi casada com Evanuel Araújo de Souza (Vaninho) com quem teve 10 filhos, Evanio, Erineide , Evaldo, Evaneide, Edeilson, Enilda, Evanuel e Evania, estudou até o primeiro grau e fez LOGOS II, já na condição de professora.

Dançou pastoril, quando adolescente e já como professora continuou organizando com as crianças e jovens da comunidade, um pastoril em que se apresentavam na própria comunidade e na sede do município.

Foi professora de alfabetização de jovens e adultos pelo antigo MOBRAL (Movimento Brasileiro de Alfabetização) ensinando a jovens e adultos que não eram alfabetizados na Escola Municipal Santa Luzia.

Em seguida foi professora de alfabetização para crianças, nas Escolas Alfredo Lira nas Marias e Santa Luzia em Cajazeiras dos anos 1980 ao ano 2000, em que teve uma atuação reconhecida até hoje por muitos pais e crianças que foram por ela alfabetizados, tanto na comunidade de Cajazeiras quanto a das Marias e ainda muito lembrada quando participava dos treinamentos de professores, pois sempre tinha algo para apresentar em que a equipe pedagógica da secretaria de educação, sempre a convidava.

Foi membro da legião de Maria. Tendo sempre uma atuação em favor da fé e da obra, seguindo os princípios da Teologia da Libertação, forte pensamento na igreja católica de sua época.

Foi em sua luta profissional, uma das primeiras professoras a ingressar na justiça para ter direito ao salário mínimo, que até o ano de 1997, não era garantido para o funcionalismo municipal.

Sempre demonstrou muita força de vontade em defender o certo e buscava apoiar as lutas dos trabalhadores em educação de forma aguerrida.

Faleceu no dia 11 de dezembro de 2000 de um AVC (Acidente Vascular Cerebral), causado por um aneurisma. Deixando profundas saudades não apenas entre seus familiares, mas em toda a comunidade, que sempre é lembrada como grande professora.

AQUI FICAM AS PERGUNTAS:

Caso fosse realizado um PLEBISCITO NA COMUNIDADE, você votaria pela manutenção do nome da Creche?   Ou votaria para que o nome da creche fosse o nome da professora Maria Barbosa de Souza?

Você daria um nome em uma escola, o nome de um FAZENDEIRO ou de uma PROFESSORA?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *