Sobrevivência das pequenas empresas no RN chega a 92%, aponta estudo

Levantamento feito pelo SEBRAE em todo o País indica que no Rio Grande do Norte a taxa de mortalidade das pequenas empresas devido à pandemia foi de apenas 8%. Microempreendedores foram os mais afetados

A pesquisa aponta uma situação preocupante. Os Microempreendedores Individuais (MEIs) ainda são a ponta mais frágil do cenário empresarial brasileiro e que sofrem com as oscilações do mercado, culminando no encerramento das atividades quando o contexto econômico se torna completamente desfavorável.

No Rio Grande do Norte, assim como em boa parte dos estados, essa categoria responde pela maioria das empresas constituídas formalmente. Hoje, são 148.984 pequenos negócios registrados nessa categoria jurídica no estado. Segundo o estudo, é possível inferir que a maior taxa de mortalidade dos MEI também esteja associada à extrema facilidade de abrir e de fechar esse tipo de empreendimento, quando comparado às Microempresas (ME) e às Empresas de Pequeno Porte (EPP), cujas exigências ainda são menos flexíveis para esses dois portes.

O levantamento feito pelo Sebrae levou em conta dados da Receita Federal em um total de 84.820 empreendimentos e também uma pesquisa de campo, que chegou a ouvir 3.047 empresários, sendo 1.056 deles somente no Nordeste.

Saiba mais em:  agorarn.com.br/ultimas  –  foto: Ney Douglas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *