Câmara pode decidir rumos da Comissão de investigação de contratos da Prefeitura do Natal nesta quarta-feira

Os rumos da Comissão Especial de Investigação (CEI), que vai apurar possíveis irregularidades em contratos da Prefeitura do Natal referentes à compra de respiradores supostamente superfaturados, poderá ser decidida nesta quarta-feira 7 em uma reunião pré-agendada com o presidente da Casa, o vereador Paulinho Freire (PSDB). A possibilidade de abertura da Comissão foi desencadeada através da Operação Rebotalho, deflagrada na última quinta-feira 1º na Secretaria Municipal de Saúde de Natal com a participação da Polícia Federal, Controladoria Geral da União e Ministério Público Federal. A operação vai investigar possíveis irregularidades na compra de ventiladores pulmonares para o Hospital de Campanha, instalado na Via Costeira. A reportagem do Agora RN tentou ouvir alguns vereadores, mas poucos falaram sobre o assunto. O vereador Robério Paulino (PSOL) disse se sentir confiante, que a bancada de oposição conta com 5 vereadores e prometeu conseguir as 10 assinaturas necessárias para abrir a Comissão. “Achamos que podemos conseguir as 10 assinaturas. Uma CEI não é só para fazer política contra o prefeito. Nós não podemos prejulgar, mas é obrigação da Câmara Municipal investigar e acompanhar esses contratos, porque são muito graves. São acusações de superfaturamento, de compras sem licitação, então a câmara não pode se calar. Ela não pode acusar sem provas, mas ela tem que acompanhar as investigações e dar transparência para toda a população sobre o que está sendo investigado”, disse o parlamentar. Já o vereador Felipe Alves (PDT) disse que é cedo para comentar o assunto. O vereador Preto Aquino (PSD), que é presidente da Comissão de Saúde da Câmara, disse que a solicitação é legítima, porém, também reforçou que é cedo para falar sobre o assunto. Operação A Polícia Federal fez operação no início do mês na Secretaria Municipal de Saúde de Natal. A Controladoria Geral da União (CGU) investiga a compra de ventiladores pulmonares para o Hospital de Campanha. O trabalho foi realizado em parceria com o Ministério Público Federal (MPF). O objetivo é apurar irregularidades ocorridas na compra de ventiladores pulmonares para utilização no Hospital de Campanha de Natal. A investigação aponta para irregularidades ocorridas na aquisição de 20 ventiladores pulmonares pela Secretaria Municipal de Saúde de Natal, no valor de R$ 2.160.000, que seriam utilizados no Hospital de Campanha da capital. Os levantamentos indicaram que os equipamentos comprados tinham origem e qualidade duvidosas e alguns já apresentaram defeitos por ocasião da entrega. Também foi constatado pela Operação Rebotalho que a vida útil dos ventiladores pulmonares já se encontrava, quase na sua totalidade, expirada e que alguns equipamentos adquiridos haviam sido descartados por instituições/hospitais por serem obsoletos ou inservíveis.

Fonte: Agora/RN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *