Produção de milho verde garante renda para a agricultura familiar

Mês de junho remete ao consumo do milho verde, produto cultivado em vários municípios potiguares. Através de técnicas de irrigação, os agricultores conseguem manter o plantio durante todos os meses do ano e garantem renda fixa para suas famílias, sempre com a assistência técnica da Emater-RN.
Na região do Mato Grande, por exemplo, os municípios de Parazinho, Touros e São Gonçalo do Amarante mantêm uma boa produção do milho verde. Somente neste último município, a produção média aproximada é de 5 milhões de espigas vendidas no período do São João.
Já em Touros, entre março e final de junho, a perspectiva de plantio e colheita é de 550 hectares. Segundo o técnico local da Emater-RN, José Edmilton dos Anjos, cada hectare produz em média 25.000 espigas, o que representa uma estimativa de colheita de 13.750.000 espigas de milho.
Em Parazinho, Moacir Paulino de Souza é um dos produtores que consegue se manter o ano todo produzindo milho verde irrigado, como também expandir sua produção. Toda semana ele tem colheita e já reservou uma carreira de milho para vender no Santo Antônio, no São João e no São Pedro.
Moacir tem 56 anos e sustenta toda a família com a venda de milho. Conseguiu organizar sua produção e adquiriu crédito para comprar um trator, com apoio da Emater. O projeto foi feito pelo técnico local de Parazinho, Dogival Lima de Paula.
Além de milho verde, o agricultor familiar produz mamão formosa, limão Tahiti e, há um ano, investe no plantio de cajás, que garantirá a renda para a aposentadoria, assegurou.
Segundo o gestor regional da Emater em João Câmara, José Damasceno Junior, a cultura do milho é de grande importância econômica, social e cultural para a região do Mato Grande.
“Esse trabalho que a Emater realiza no Mato Grande é fundamental, pois a produção irrigada de milho, além de outros cultivos, fortalece os aspectos econômicos, sociais e culturais dos agricultores, inclusive dos jovens.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *